Moda e arte se encontram nas Asas das Borboletas - Luciana Galeão
921
post-template-default,single,single-post,postid-921,single-format-standard,theme-bridge,bridge-core-2.5.9,woocommerce-no-js,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,paspartu_enabled,paspartu_on_bottom_fixed,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,columns-4,qode-theme-ver-24.4,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.2,vc_responsive

Moda e arte se encontram nas Asas das Borboletas

Luciana Galeão estreou a coleção Asas de Borboletas no desfile de Novos Designers da Fashion Rio, um dos principais eventos de moda do país.

A paleta de cores, as estampas e os desenhos das peças são inspirados nos padrões das asas dos insetos que encantam por sua beleza. A leveza e a feminilidade das borboletas foram traduzidas em vestidos e túnicas de algodão e seda, com tecidos entrelaçados em patchwork e mosaicos de couro sintético bordado, em azul, amarelo e vermelhos brilhantes em contraste com branco, preto e bege.

 

Borboletas que inspiram

A delicada geometria das asas, as cores vibrantes que mudam com a luz, sua relação com as flores e o ciclo de vida das borboletas fazem desse inseto um símbolo de transformação, esperança, beleza e um tema central para muitos artistas visuais.

Entre 1889 e 1890, Van Gogh produziu uma série de ao menos quatro pinturas com borboletas e mariposas como tema central.

Em uma carta, o pintor holandês considerou que linhas, formas e cores poderiam existir em outros sóis e outros planetas, deixando o artista em liberdade para pensar as possibilidades de pintar outras existências alteradas por fenômenos tão engenhosos e surpreendentes como a transformação da lagarta em borboleta.

O resultado são pinturas delicadas em que as borboletas quase se confundem com o plano de fundo da vegetação que balança com o vento.

Quase 20 anos depois, Odilon Redon deixou os desenhos em preto e branco para criar pinturas e pastéis de cores intensas. As borboletas foram seus principais temas, junto com outras pequenas maravilhas como conchas e flores, objetos que podem ser contemplados em sua fantástica intensidade, como o MOMA apresenta sua tela Butterflies, de 1910.

Luciana Galeão explora em seus desenhos as formas inspiradas na natureza:

“Uma referência muito forte no meu trabalho é o grafismo, principalmente o grafismo orgânico e as formas geométricas. As asas das borboletas formam desenhos maravilhosos.”

 

Com a força e delicadeza das borboletas, a coleção foi apresentada com um poema concreto de Antônio Miranda:

Aos pares como asas de borboletas similares debatendo-se e

confrontando-se atendo-se a uma simetria crítica inquieta

geometria instável repetida frenética insustentável:

corpos aos pares asas modulares articuladas.

Corpos justapostos mancomunados

atados dependentes breves

flamejantes. Acasalados

leves. Casais como

dobradiças

treliças

partes

par

es

.

duas

metades

no quadrado

imaginário: asas

 

O poeta maranhense é membro da Associação Nacional de Escritores e professor aposentado do Departamento de Ciência da Informação e Documentação da UNB.  Viveu entre Brasília, Buenos Aires, Caracas, Bogotá, Londres teve seus textos publicados no  Suplemento Dominical do Jornal do Brasil e também o La Nación (Buenos Aires, Argentina) e Imagen (Caracas, Venezuela). 

Entre seus trabalhos mais conhecidos está Tu País Está Feliz, peça de teatro baseado em seus poemas e músicas estreou em 1971 e foi representada em mais de 20 países.


Ficha Técnica

Coleção Asas de Borboletas
Design: Luciana Galeão
Styling: Tininha Viana
Beleza: Ricardo Brandão
Ensaio fotográfico: Tym Cerqueira
Fotos do desfile: Débora Paes
Desfile: Fashion Rio, 2007

 

Saiba mais

Conheça a Coleção Asas de Borboletas na Loja Online. Todas as peças podem ser encomendadas pelo Ateliê Digital.

Na imprensa

Cobertura do Jornal O Globo do desfile na Fashion Rio 

Revista Vogue

 

Revista?

 

Compartilhe
Talyta Singer
ytasinger@gmail.com

Jornalista especializada em Ciência e Tecnologia (UFMT), Mestre e Doutoranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA). Desenvolve pesquisa na área de narrativas em inovação no jornalismo. Faz parte da T2 Comunicação e Gestão de Projetos.

Sem comentários

Deixe um comentário